Área econômica do governo dá aval à proposta de auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros

Fontes do Ministério da Economia informaram ao blog nesta quinta-feira (23) que a área econômica do governo deu aval à proposta do “voucher caminhoneiro”, que prevê auxílio de R$ 1 mil para a categoria e está em discussão no Congresso Nacional.
Agora, com o “ok” da equipe do ministro Paulo Guedes, o Congresso não terá mais a resistência do governo, e o auxílio poderá ser pago a até 800 mil caminhoneiros. Segundo cálculos da área econômica, a medida deve custar R$ 4,8 bilhões.
A ideia inicial era conceder um auxílio de R$ 400 aos caminhoneiros, mas o valor foi chamado de “esmola” por integrantes da categoria.
O presidente Jair Bolsonaro tem os caminhoneiros com base de apoio político.
Em 2018, por exemplo, o então deputado apoiou a greve da categoria. No ano passado, já como presidente, Bolsonaro anunciou o auxílio de R$ 400 e, diante de uma nova paralisação, Bolsonaro chamou os caminhoneiros de “aliados” e disse que faria “a parte” dele.
Pacote
O governo também prevê outras medidas, como a ampliação do vale gás — que se tornaria mensal (atualmente é pago a cada 2 meses) –, formando um pacote deve consumir quase R$ 6 bilhões do crédito extraordinário que o Congresso avalia incluir na PEC 16, em análise nas Casas legislativas.
Os gastos extraordinários, de cerca de R$ 50 bilhões, podem subir para R$ 52 bilhões, segundo fontes do governo.
O valor inclui, ainda, a compensação aos estados pela redução do ICMS sobre combustíveis, medida que o governo espera que ajude a reduzir o descontentamento da população com a alta do diesel e da gasolina. Não há certeza, entretanto, de que haverá redução do preço cobrado nos postos.
Guerra na Ucrânia
O carimbo que deve viabilizar a abertura do crédito extraordinário, em ano eleitoral, é o de emergência em consequência da guerra na Ucrânia, que impactou preços internacionais dos combustíveis.
Com o pacote, o governo e aliados esperam conseguir reverter o impacto negativo da alta do diesel entre caminhoneiros, grupo que apoia o presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição.